quinta-feira, 2 de agosto de 2007

odeio java, mas...

Quem me conhece sabe que eu tenho pavor da palavra Java.

Para mim essa linguagem é um band-aid code em cima de outro band-aid code.


Fazendo uma analogia mais simples, digamos que você queira uma casa. Digamos que existam, entre várias opções, uma casa feita com vigas de concreto super sólidas, um ótimo telhado, ... (uma casa como a gente conhece, vai), que demora meses para ser construída. Suponha agora que existe uma outra opção, de uma casa feita de isopor.

Ela só funciona direito se o clima for ideal. Se bater um vendaval ela desmpenca toda. E não tem fundação, então ela pode começar a sair do lugar do nada. Só que essa casa de isopor já está pronta. Existem milhares de modelos, todos com comunidades enormes de proprietários. Algumas casas de isopor até falam com você, mas isso implica que menos gente pode entrar na tal casa.. ou que você vai gastar muito mais dinheiro comprando um terreno maior para ela.

Java é assim. São tanto band-aids grudados um no outro q vc tem uma casa de band-aid (ou de isopor).

E o mais bizarro: justamente por ser um band-aidão, por tirar da costas do programador o compromisso com um código realmente eficiente e controle de memória (coisas técnicas "malas"; não vou entrar muito pra esse lado), jogando o compromisso por uma máquina "parruda" pro cliente (geralmente o ser que rodará o programa), que Java é tão usado.

Calma calma! Não estou falando que java é usado pq é pesado e nem que programador java não sabe lidar com esses problemas!

Estou vivendo um problema agora. Ou eu escolho algo que seja bom por ser bom. Ou escolho algo pela velocidade em fazer algo que funcione.

Ambos os lados são importantes. Mas, voltando aos band-aids, até q existem curativos limpinhos. :P

É o caso do Tapestry.

Estou usando esse treco. Fui contra à recomendação de que "eu preciso de vários programadores já treinados" e adotei uma ferramenta nem tão usada. O tempo passou, aprendi mais sobre a ferramenta.. entrei em contato com a comunidade de usuários.. e.. uau!! Eu realmente curti esse band-aid! rs


resumindo, odeio java mas tapestry é legal. :D

Um comentário:

Névoa disse...

Para alguns Java é lento, papa-memória e pouco produtivo. Há pessoas que usam Java porque simplesmente ele é de graça. Universidades que não querem pagar um pouco mais por produtividade dos softwares decentes, usam Java. A garotada do nordeste brasileiro, de 2003 à 2008 está saindo da faculdade só aprendendo essa linguagem. Parecem não saber programar em mais nada. Nada de Delphi, C++, C#, Asp, Asp.Net, PHP, Python, Perl, etc. Parecem Só saber Java. O problema é que a SUN Microsystems tem tido prejuízo nos anos de 2005 e 2006. A imagem da SUN estava tão ruim que resolveu, em 2007, substituir seu nome na bolsa de valores de SUN para Java, porque era mais conhecido. Os lucros da SUN tem sido pífeos comparados aos da Microsoft, IBM, Apple e outras empresas do ramo. Nem a própria SUN parece confiar no Java. Isto porque na Licença de uso Java, é proibido fazer códigos para fins nucleares (será que não querem arriscar no caso de uma usina nuclear explodir por causa do Java?).